Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Novo racha de novo, agora pelo voto impresso

Impeachment de Bolsonaro e nova candidatura de Amoêdo são outros temas que dividem o partido
Novo racha de novo, agora pelo voto impresso
Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

O Novo voltou a viver um racha – desta vez, por causa do voto impresso.

O ex-candidato a presidente João Amoêdo foi ao Twiter nesta terça (10) criticar os deputados federais que pretendem votar a favor da bandeira bolsonarista.

“Hoje, mais uma vez, assistiremos deputados que foram eleitos pelo NOVO, por fazerem parte de uma instituição, se posicionando contra o que defende a instituição”, escreveu Amoêdo.

“Foi assim quando se colocaram contra o impeachment, quando se colocaram contra uma pré candidatura à presidência da República e agora novamente quando defendem o voto impresso. Cabe ao partido, em 2022, selecionar pessoas que compartilhem da visão de longo prazo do NOVO e aos mandatários, alinhados ao governo Bolsonaro, procurar uma legenda que os represente”.

O deputado federal Lucas Gonzalez (Novo-MG) rebateu, em nota oficial:

“Utilizar-se de fala afrontosa vem sendo, recorrentemente, o seu instrumento de fuga ao que não parece disposto: o diálogo franco, construtivo e aberto a posições divergentes. A independência e a autonomia de mandatários nunca foi um elemento dispensável no NOVO. Ao contrário, é premissa fundamental de nosso ofício, respeitarmos reflexões individuais, uma vez que a verdadeira liberdade, com responsabilidade, é a essência e o motivo maior para que existamos enquanto partido. Nesse sentido, sugiro que ao invés de seguir tendo o ataque como combustível central, que mude o foco de seu repertório de valores, ou mude de legenda. No NOVO, a liberdade sempre caberá como fio condutor e a sua supressão, autoritária e desrespeitosa, em nada atingirá a honra dos diversos parlamentares, de nossa bancada, que apoiarão a PEC em tramitação no dia de hoje. Um abraço e passar bem”.

Leia tambémJoão Amoêdo desiste de pré-candidatura à Presidência

Mais notícias
TOPO