Nuzman foi “essencial”

Sérgio Cabral mandou seu sócio Rei Arthur pagar 2 milhões de dólares em propinas para Papa Massata Diack, filho do presidente da IAAF (atletismo).

De acordo com a Lava Jato, “as negociações entabuladas por Carlos Arthur Nuzman foram essenciais para que se concretizasse o repasse de vantagem indevida de Sérgio Cabral a Papa Massata Diack, por meio de Arthur Soares (…).

Sem a presença e negociação entabulada por Carlos Arthur Nuzman, a engenhosa e complexa relação corrupta poderia não alcançar o sucesso que efetivamente alcançou”.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 11 comentários
  1. Este canalha sempre foi ladrão.
    Era classe médi, e hoje mora no Jardim Pernambuco no Leblon.
    A jornalista de araque o largou,deve ter descoberto……
    mas gostava da vida na mansão com dinheiro roubado,
    tudo gente fina,a nata da sociedade.
    Merecem pena de morte !