ACESSE

NYT tem de publicar errata de artigo de Lula

Telegram

Entre as inúmeras vigarices do artigo de Lula publicado hoje pelo New York Times, há um erro factual –na verdade, uma mentira– facilmente verificável pelo jornal americano.

No sexto parágrafo do texto, o ghost-writer do presidiário escreve o seguinte (traduzimos do inglês):

“Eles [os ‘inimigos’ de Lula] criaram um espetáculo midiático ao me prender e me submeter a um ‘perp walk’, pois me acusaram de ser o ‘mentor’ de um vasto esquema de corrupção.”

“Perp walk” é uma expressão que pode ser traduzida como “desfile do acusado”. É usada nas ocasiões em que a polícia prende alguém e expõe o prisioneiro, geralmente algemado, para que a imprensa faça imagens.

Ora, isso não aconteceu em nenhum momento com Lula. Pelo contrário: tanto Sergio Moro quanto a polícia cuidaram para que o corrupto e lavador de dinheiro não fosse exposto preso. Deram tempo a Lula para se entregar, e o juiz ordenou que ele fosse detido em sala reservada na PF em razão da “dignidade do cargo”.

Os editores do New York Times poderiam ter verificado que não há imagem alguma do alegado “perp walk” de Lula. Agora, o mínimo que se espera deles é que redijam uma errata. Mas não deve acontecer.

Comentários

  • Carlos -

    O NYTimes publicar uma carta assinada pelo Lula que o mundo sabe que ele não escreveu, pois não tem escolaridade para tanto, coloca o jornal em situação extremamente ridícula. Está perdendo leitores!

  • Romeu -

    Como errata se a revista veja dessa semana trás a notícia de que o Gebran neto confessou a amigos ter ignorado a justiça para manter o Lula preso mesmo o desembargador Favretto concedido habeas corpus

  • Rosana -

    Nem se preocupem. Muitas das coisas que ele escreveu/ denunciou, sao tao comuns e tão presentes na cultura americana, que duvido que muitos se sensibilizem. Esse papinho só pega otario brasileiro.

Ler 69 comentários