"O agro é pop, o agro é tech, mas o agro é teimoso"

Acendeu o alerta no agronegócio brasileiro, embora a euforia com o governo Bolsonaro ainda esteja presente em boa parte do setor.

Uma liderança do agro, que presidiu a Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho) em um importante estado do país até recentemente, disse a O Antagonista, pedindo reserva, que o cenário atual é pior que na era PT.

“Mas na era PT, era o presidente eleito pelos outros. Agora, o agro entende como ‘o nosso’ presidente. O agro é pop, o agro é tech, mas o agro é teimoso. Não quer reconhecer que Bolsonaro nos traiu em prol dos filhos enrolados.”

Ele continuou:

“Estamos embriagados pelo alto preço dos produtos primários, provocado pelo confinamento das pessoas em face da pandemia. Isso vai passar. Quando passar, acordaremos para o fato de inúmeros insumos necessários para o agro serem em dólar, que está em valor histórico.”

Ele chamou atenção para as demissões e os fechamentos de frigoríficos no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, por exemplo.

“Daqui a dois anos, no máximo, a ressaca será geral e o agro brasileiro estará todo em recuperação judicial”, prevê.

Leia mais: Diogo Mainardi: 'Anta agoniza'
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 57 comentários
TOPO