Collor inclui Lula

O advogado Roberto Trombeta seria o motivo da manutenção do sigilo sobre a denúncia da PGR contra Fernando Collor. Ele operava a propina paga pela UTC e a OAS por meio de contratos de advocacia com as empresas de fachada do lobista Adir Assad. Trombeta fazia papel parecido ao de Alexandre Romano, preso na Operação Pixuleco II, mas atuava em parceria com Pedro Paulo Leoni Ramos, ligado a Collor.

Trombeta também tem segredos de Lula, mas Janot não deve estar interessado.