O raciocínio enganoso de Fábio Faria

O raciocínio enganoso de Fábio Faria
Foto: Isac Nóbrega/PR

Ainda na entrevista à Rádio Gaúcha, o ministro Fábio Faria disse que a população pode “ficar tranquila”, porque “quem quiser ser vacinado vai ser vacinado” contra a Covid-19 no Brasil.

Questionado sobre sua opinião pessoal acerca das vacinas, Faria titubeou, mas acabou soltando o seguinte raciocínio:

“Se a pessoa acredita na vacina, ela toma a vacina e está vacinada, e não fica preocupada se a outra pessoa não está vacinada. É isso que não entendo”.

Faria acrescentou: “Tem muita gente na minha família que não toma vacina e não vai tomar, tem que respeitar”.

Segundo ele, “o presidente está na rua e escuta o povo” e, por isso, a vacinação não será obrigatória.

O raciocínio do ministro das Comunicações, o mesmo do chefe, é enganoso.

Como alerta a epidemiologista Ethel Maciel, a vacinação contra a Covid-19 precisa ser uma “estratégia coletiva”, sob risco, por exemplo, de “o vírus poder fazer uma mutação e sua vacina não servir para nada” — releia clicando aqui.

Leia mais: Em pouco mais de um mês no STF, o ministro Kassio Marques se alinha à ala anti-Lava Jato.
Mais notícias
TOPO