O calote cubano

Cuba ofereceu seus médicos em troca do financiamento do Porto de Mariel, como destacamos ontem (releia aqui).

O governo do PT sempre soube que a ditadura castrista não poderia pagar a obra da Odebrecht e tentou acobertar a negociata importando mão-de-obra escrava.

Diz Merval Pereira:

“Como não se sabe nem mesmo quanto o Brasil pagou nesses cinco anos de convênio com Cuba, e nem a forma do pagamento — se como compensação pelas obras da Odebrecht em Cuba, ou através das Opas —, será preciso agora abrir a caixa-preta do BNDES para entender exatamente o que aconteceu.”

Alguém acha que Joaquim Levy, secretário de Lula e ministro de Dilma Rousseff, vai abrir a caixa-preta do BNDES?

Mario Sabino e Diogo Mainardi convidam para o 1º Encontro de Antagonistas, dia 26. Vagas limitadas: confira AQUI CLIQUE AQUI
Mais notícias
TOPO