O caminho da propina

A Braskem pagou 50 milhões de reais para a campanha de Dilma Rousseff.

Agora falta descobrir o caminho do dinheiro.

A propina não entrou pelo caixa um, porque a Braskem é 50% pública e estava impedida de doar para partidos ou campanhas eleitorais.

Entrou, portanto, pelo caixa dois.

De que maneira? Dinheiro vivo? Depósitos no exterior? Por meio de gráficas fantasmas?

Faça o primeiro comentário