ACESSE

O carrossel salarial no gabinete de Jair Bolsonaro

Telegram

Reportagem deste domingo da Folha mostra que a rotatividade salarial dos assessores de Jair Bolsonaro nos anos em que ele foi deputado federal atingiu cerca de um terço das mais de cem pessoas que passaram por seu gabinete.

Boletins administrativos da Câmara mostram que assessores de Bolsonaro chegavam a ter os salários dobrados ou até quadruplicados de um dia para o outro.

O jornal identificou ao menos seis assessores que tiveram intensa movimentação salarial promovida pelo então deputado federal.

“É o caso da assessora Marselle Lopes Marques, que ficou cerca de um ano e meio lotada no gabinete de Bolsonaro, em 2004 e 2005.

Ela ingressou com um dos menores salários, R$ 261 (valores da época). Três meses depois, foi mudada de cargo e dobrou a remuneração. Com um ano, passou a ganhar o maior contracheque entre todos os assessores, R$ 6.011. Três meses depois, o salário foi cortado em 90%.”

O jornal cita ainda o caso de Patrícia Cristina Faustino de Paula, que depois ingressou no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro. Ela sofreu 20 alterações de cargo enquanto esteve lotada no gabinete de Jair Bolsonaro.

“Entrou com um dos mais baixos contracheques, menos de R$ 1.000, atingiu R$ 8.040 em 2012, mas depois figurou na menor remuneração do gabinete (R$ 845), em setembro de 2013.”

Leia mais: O caso Flávio Bolsonaro-Queiroz: até onde a investigação pode chegar? Clique para saber mais

Comentários

  • Nina -

    Esquema de tomar mais do funcionário (rachadinha) sem mudar de fato a remuneração. Quando vai demitir, volta para o salário normal. Só puxar a pena que vem a galinha.Bolsonaro corrupto como os demais.

  • Edenilson -

    2023 Bolso Traidor será preso assim que perder o cargo nas eleições por crime de corrupção. Famosa rachadinha... mais 1. #moro2022

  • MILA -

    os bolsonaros nunca trabalharam, sãovagabundos que vivem do erário, - público, do suor do trabalhadorio

Ler 143 comentários