ACESSE

O 'Cash Delivery' de Marconi Perillo

Telegram

Como publicamos mais cedo, a PF deflagrou agora de manhã a Operação Cash Delivery, que apura denúncia de delatores da Odebrecht sobre pagamento de propina a Marconi Perillo e seu grupo.

Os agentes estão cumprindo 5 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão em Goiânia/GO (5), São Paulo/SP (4), Campinas/SP (1), Pirenópolis/GO (2), Aruanã/GO(1) e Aparecida de Goiânia/GO (1).

Quando ainda era senador e, depois, também como governador, Marconi Perillo solicitou e recebeu propina no valor de, em 2010, R$2 milhões e, em 2014, R$10 milhões, em troca de favorecer interesses da empreiteira relacionados a contratos e obras no Estado de Goiás.

Além de Marconi Perillo, são alvos da operação deflagrada hoje, o ex-presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) Jayme Eduardo Rincon, o filho dele, Rodrigo Godoi Rincon, o policial militar Márcio Garcia de Moura, o ex-policial militar e advogado Pablo Rogério de Oliveira e o empresário Carlos Alberto Pacheco Júnior.

O dinheiro abaixo foi encontrado na casa do PM Márcio Moura, que trabalhava como motorista de Rincon.

 

Comentários

  • Eduardo -

    A roubalheira não para nunca? Governar é pedir propina para abrir as portas? Precisamos de um código penal que seja mais duro com governantes e sem privilégios. E temos que mudar nossa cultura.

  • Tom -

    NADA faz essa turma da corrupção parar. Já contratou " Kakay " , o que ja é sinônimo de culpa. Enquanto isso em MG, Dilma segue lider nas pesquisas. Que pais é esse ?

  • Hilton -

    Esse é o "MECANISMO", que será extirpado.

Ler 55 comentários