O cursinho do “Estado de exceção”

Na linha de frente da formulação do manifesto sobre a atuação do Ministério Público, estão:

– Alberto Toron, advogado de Aécio Neves e Dilma Rousseff;

– Cristiano Zanin, defensor de Lula;

– e Antonio Mariz de Oliveira, de Temer.

Os quatro políticos estão na Lava Jato e foram implicados na delação da JBS, estopim para a articulação do manifesto.

Outros criminalistas fazem parte do grupo que prepara o texto, segundo o Painel da Folha.

Eles discutem até criar um curso para debater o que seria “Estado de exceção”.

Havendo aspas, a resposta é simples: o Estado em que Lula, Dilma, Temer, Aécio e outros poderosos são investigados.