Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

O dedo médio da ciência para Queiroga

Relatório com diretrizes para tratar pacientes com suspeita ou diagnóstico de Covid, encomendado pelo ministro, ignora a existência de tratamento precoce
O dedo médio da ciência para Queiroga
Reprodução/Instagram/gilsonmachado

Marcelo Queiroga encomendou relatório com diretrizes para tratamento de pacientes com suspeita ou diagnóstico de Covid. O documento, que será submetido à aprovação oficial esta semana, não recomenda nenhum medicamento para uso de rotina contra a doença em seus estágios iniciais ou casos leves.

Segundo o UOL, o protocolo ignora a existência do “tratamento precoce”, hipótese difundida pelo bolsonarismo e aplicada por redes hospitalares durante a pandemia, como é o caso da Prevent Senior, da Unimed e da Hapvida.

O documento “Diretrizes Brasileiras para Tratamento Medicamentoso Ambulatorial do Paciente com Covid-19” foi elaborado por um painel com mais de duas dezenas de especialistas ao longo de três meses, sob a supervisão da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde), do Ministério da Saúde, com base na análise criteriosa de estudos científicos e de diretrizes para tratamento de Covid divulgadas por órgãos oficiais de outros países e por sociedades científicas do Brasil e do exterior.

“O documento será submetido à aprovação do plenário da Conitec nesta quarta-feira (6), e depois ficará disponível para consulta pública durante dez dias. Se o relatório for aprovado, será um reconhecimento oficial de que ainda não existe tratamento precoce para Covid.”

Mais notícias
TOPO