ACESSE

O depósito ainda não esclarecido na conta da futura primeira-dama

Telegram

No dia 5 de dezembro, o Estadão revelou que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou uma movimentação “atípica” de R$ 1,2 milhão na conta do policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz, que trabalhou até outubro como motorista e segurança do deputado Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro.

Entre as movimentações, uma chamou mais atenção: o depósito de um cheque no valor de R$ 24 mil na conta da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O presidente eleito quebrou o silêncio sobre o assunto dois dias depois, em entrevista exclusiva a O Antagonista.

De acordo com Bolsonaro, os R$ 24 mil pagos pelo ex-assessor a Michelle Bolsonaro, por meio de cheques, são referentes à quitação de uma dívida pessoal.

“Emprestei dinheiro para ele em outras oportunidades. Nessa última agora, ele estava com um problema financeiro e uma dívida que ele tinha comigo se acumulou”, disse Bolsonaro.

O presidente eleito disse ainda que ficou surpreso com a montante da movimentação na conta de Queiroz – incompatível com a renda do PM.

E disse que cortou o contato com o amigo até que ele se explique com o Ministério Público.

A explicação ainda não foi dada por Queiroz. E a de Bolsonaro ainda não pode ser considerada um esclarecimento.

2019 não será um ano para amadores. Conte com a ajuda de especialistas para chegar são e salvo a 2020 AQUI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 51 comentários