ACESSE

O desafio do CNJ ao “fixar parâmetros” para juízes nas redes

Telegram

O Estadão, em editorial, comenta sobre o grupo de trabalho criado por Dias Toffoli para fixar “parâmetros de conduta” para manifestações de juízes nas redes sociais.

“À primeira vista, os argumentos são sensatos. Por dar vazão às explosões verbais de populistas, moralistas, ativistas e aventureiros, as redes sociais corroem a imagem das instituições, como a Justiça, prejudicam o jogo político e deixam os cidadãos expostos a toda forma de insensatez e inconsequência. No caso específico do Judiciário, o problema está na dosagem correta das medidas a serem tomadas pelo CNJ para preservar a imagem da instituição. O desafio do órgão é equilibrar a liberdade de expressão a que os juízes têm direito como cidadãos e as limitações a que são submetidos por integrarem um Poder que deve ser isento e imparcial por princípio. Se não primar pelo bom senso, ponderação e equilíbrio, o CNJ dará razão àqueles que criticam seu presidente de estar tentando estabelecer a mordaça, travestida sob a forma de ‘parâmetros de conduta.’”

Os bastidores da grande derrota de Moro, do governo e do combate ao crime organizado. Confira agora

Comentários

  • Teresa -

    Que moral tem Dias Toffoli e o ativismo esquerdopatada do CNJ? Isso tá mais pra um cala boca.

  • Marrcello -

    CNJ - Cabide Nacional da Justiça ! -- É só mais um sindicato bolivariano para acomodar os companheiros e ajudar na tomada do poder ! Sumam com isso que falta não irá fazer a ninguém !

  • ODesinformado -

    Interessante isso. Só pra me informar: o STF tem "Parâmetros de Conduta"?

Ler 62 comentários