O desemprego é seguro

O sindicato pressionou Dilma Rousseff e, segundo a Folha de S. Paulo, ela já recuou em sua proposta de mudar o seguro-desemprego. Vale a pena recapitular cronologicamente os eventos:

1) Em meados do ano passado, Guido Mantega cortou o seguro-desemprego, mas a medida foi mantida em segredo para não prejudicar a campanha presidencial.

2) Dois meses depois, Dilma Rousseff acusou os oposicionistas de planejarem fazer o que ela já havia feito: o corte no seguro-desemprego. Em seguida, ela mentiu: “Não mexo nos direitos trabalhistas nem que a vaca tussa”.

3) Em dezembro, o governo anunciou o corte no seguro-desemprego, associando-o à posse de Joaquim Levy no ministério da Fazenda.

4) Entrevistado pelo Financial Times, Joaquim Levy disse que o seguro-desemprego, no Brasil, era obsoleto.

5) No dia seguinte, ele foi obrigado a recuar, desmentindo o jornal. 

6) José Dirceu atacou abertamente Joaquim Levy. Lula atacou dissimuladamente Dilma Rousseff.

7) Dilma Rousseff voltou atrás em sua proposta de mudar o seguro-desemprego.

O Brasil vai afundar muito antes do que se imagina.

Ladrões de bicicletas e de eleições

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200