O desmembramento do Ministério do Trabalho

O Ministério do Trabalho, que será extinto no novo governo, deverá ser desmembrado em três partes, relata O Globo.

A parte que envolve direitos trabalhistas, o combate ao trabalho infantil e ao trabalho escravo migrará para o ministério da área social.

O FGTS e o FAT devem ir para o ministério da Economia de Paulo Guedes.

Já as áreas responsáveis por registros sindicais e qualificação de trabalhadores poderão migrar para o Ministério da Educação ou outra pasta.

A grande imprensa está, é claro, atrasada no episódio do convite de Bolsonaro a Sergio Moro... LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 26 comentários
  1. Com a reforma, o trabalhador é dono de si e de seu emprego. Nada tem com seu colega, cada um cuida de si. Então pra que precisa de sindicato, tribunal e ministério? Necessita de mão de obra capaz,

  2. Alguém aqui já viu um balanço de um sindicato? Não????? Pois é…. Dá prá imaginar o que eles faziam com a NOTA PRETA que recebiam dos repasses? Quem vcs acham que financiou o lulopetismo?

  3. Dizem-se responsáveis por “políticas e diretrizes para geração de emprego e renda, modernizar relações de trabalho” etc. Ou seja, ótimos motivos para acabar mesmo, já que nada disso funciona

  4. Sinceramente, acho bom. Esse ministério tem mais de 80 anos, e o que se viu até hoje é a PRECARIZAÇÃO das relações de trabalho, muito mais desemprego, e a roubalheira crônica do FGTS e FAT.

    1. Outra coisa: NUNCA precisei de Sindicato pra me defender. Que aliás, nunca me defendeu. Mal, mal, realizou uma homologação tão mal feita, que por mim todo Sindicato pelego deveria ser FECHADO!