O destino das obras de arte na Lava Jato

É sobre o acervo de Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, que o juiz Sergio Moro começa a decidir este ano o futuro definitivo das obras de arte apreendidas pela Lava Jato em quase quatro anos de operação, registra a Gazeta do Povo.

“No total, são 220 obras de artistas como Amilcar de Castro, Di Cavalcanti, Heitor dos Prazeres, Salvador Dalí, Cícero Dias, Antonio Bandeira, Claudio Tozzi, Nelson Leirner, Adriana Varejão, Vik Muniz, Miguel Rio Branco guardadas provisoriamente no Museu Oscar Niemeyer (MON), o popular Museu do Olho, em Curitiba.”

O MPF já se manifestou no processo pela destinação dos quadros em definitivo para o acervo do MON para que eles fiquem em exposição.

O procurador Carlos Fernando Lima defende que os quadros “sejam ressarcidos ao povo”, porque, no crime de lavagem, segundo ele, a vítima é o Estado, e consequentemente a sociedade.

“No caso de obras de arte, ao invés de elas voltarem para mãos de particulares e o dinheiro ir para o cofre genérico da Petrobras, elas devem ressarcir o público. É um destino mais efetivo e simbólico se conseguirmos que elas permaneçam no MON ou em outro museu.”

A defesa da Petrobras, que se diz a principal vítima do esquema de corrupção, quer fazer das obras uma forma de rever o prejuízo e pediu que parte do lote de Duque – 8 das 13 telas – seja revertida em favor da estatal.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 18 comentários
  1. Como emitir opinião ainda é livre no Brasil, sou a favor da criação do Museu da Corrupção e que essas caríssimas obras de arte façam parte do seu acervo. Aí, é só abrir as portas, inclusive com vídeos aos visitantes, explicando a origem ilícita delas e a importância da criação de uma força-tarefa como a Lava Jato. Servirá também para educar as gerações mais novas e as futuras.
    Mal comparando, seria tipo um Museu do Holocausto já que, nesses últimos anos, o Brasil também viveu uma “guerra” política, econômica, social e moral e que, infelizmente, ainda não acabou.

  2. Acho que a decisão cabe aos profissionais da área, no caso os museólogos, pede-se aos principais museus do país manifestem seu interesse pelas obras, e pelo sistema de rodizio, as instituições fariam as suas escolhas.

  3. Acho que não se deve ressarcir a estatal. Penso que uma empresa com a quantidade de funcionários que tem , foi incompetente, inconsequente, omissa e conivente com os crimes lá praticados.

  4. Lava Jato, pelo sim pelo não, deve investigar todos os artistas, mortos ou vivos, que tiveram “obras frias” incorporadas ao acervo artístico ilícito do prebos.tal do Zé Dirceu na PETROBRAS. Tolerância zero com o crime organizado da ORCRIM e suas “conexões polvorosas” no mercado de arte sob medida mercadológica da crítica midiática de aluguel para vender “obras suspeitas” à ignara burguesia novo-rico do lulopetismo saindo pelo ladrão…

  5. Quase metade da população não tem água encanada nem esgoto tratado. E alguns que se acham muito instruídos entendem que obras de arte caríssimas adquiridas por criminosos (gente baixa moralmente) sejam incorporadas ao patrimônio público para gerarem mais despesas de manutenção e de ostentação para deleite de afetados que não enxergam prioridades. Amanhã serão destruídas em incêndios, desabamentos, depredações, falta de pagamento de energia, goteiras, furtos e outras ocorrências típicas daquilo que é administrado por gente com a mesma baixeza moral ou incompetência características dos que as adquiriram ilicitamente e que pululam na administração pública do país. São fatos e não significa uma negação da arte como instrumento de educação e cultura ou depreciar a mesma, apenas observação.

  6. e o cristo do aleijadinho que fim levou???????????????????????????????????????????????????????????????????????
    FOI CREMADO COM A DEFUNTA?
    ESTA NO INSTITUTO?
    FOI PARA GARANHUNS.
    QUE VIM LEVOU ” jisis crais estrela vermelha””

    1. É REALMENTE DESANIMADOR, O MUSEU DA CORRUPÇÃO SERIA ESTRATOSFÉRICO.
      O BRASIL AINDA NÃO É UM PAÍS SÉRIO.
      O BRASIL É UM PAÍS MARAVILHOSO RECHEADO PELA PODRIDÃO POLÍTICA.

  7. O procurador quer fazer demagogia. Os lesados foram os acionistas da Petrobrás. A União é apenas um dos acionistas, e inclusive é o único responsável pelos desvios. As obras deveriam ser destinadas exclusivamente para a empresa. Destinar as obras para quem não é acionista da empresa, é fazer graça com o chapéu dos outros!

  8. Por direito não seria patrimônio da Petrobras? Esse Brasil não tem lei clara mesmo, até o nobre procurador quer fazer o que lhe acha melhor com o patrimônio da Petrobras. Precisamos de regras claras e autoridades comprometidas com a constituição.