O dispêndio da Odebrecht com Lula

O terreno do Instituto Lula foi comprado pela Odebrecht.

E a empreiteira descontou o valor do imóvel da propina destinada ao PT.

O juiz Sérgio Moro, no despacho em que perpetuou a prisão de Antonio Palocci, citou uma série de documentos que comprovam esses fatos, mas o resumo é:

“A negociação, realizada ainda em 2010, durante o mandato do ex­presidente, teria contado com a coordenação de Antonio Palocci Filho, Roberto Teixeira e Marcelo Bahia Odebrecht. O dispêndio do preço pelo Grupo Odebrecht foi debitado na planilha com os compromissos financeiros com o grupo político. Os fatos confirmam, em princípio, o conteúdo da planilha e o papel de destaque de Antonio Palocci Filho na coordenação dos acertos e recebimentos de propinas junto ao Grupo Odebrecht”.

Faça o primeiro comentário