O divórcio forjado de Paulo Preto

O divórcio forjado de Paulo Preto
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 31.10.2010: Paulo Preto, apontado pela Operação Lava Jato como o operador de propinas do PSDB em São Paulo. (Foto: Mateus Bruxel/Folhapress)

Na nova denúncia apresentada pela Lava Jato de São Paulo contra Paulo Preto, o ex-diretor da Dersa, como publicamos, é acusado de injetar recursos desviados da estatal num hotel da família.

De acordo com o Ministério Público, parte relevante das receitas do hotel era repassada a título de distribuição de lucros e rendimentos isentos a duas filhas. Na denúncia, o MP incluiu ainda a ex-mulher Ruth Arana de Souza, responsável financeira do empreendimento.

Para os investigadores, o casal se divorciou em 2009 apenas para preservar os bens diante de eventuais ações na Justiça, publica a Folha. Como o ex-diretor da estatal seria o alvo principal de uma possível ação, a maior parte da divisão das propriedade foi deixada para a ex-mulher.

Como prova, os procuradores apresentaram fotos dos dois juntos e troca de mensagens em que uma das filhas sugere que a mãe pare de visitar o pai na prisão para evitar mostrar o vínculo familiar.

Leia mais: Combo O Antagonista+ e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90/mês
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 36 comentários
TOPO