Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

O dossiê que assombra o bolsonarismo

Omar Aziz mandou prender Roberto Dias depois que ele se acertou com o governo e se negou a entregar à CPI um dossiê sobre as negociatas com as vacinas
O dossiê que assombra o bolsonarismo
Capa: Rodrigo Freitas/Crusoé - Foto: Adriano Machado/Crusoé

A Crusoé revela por que Omar Aziz mandou prender Roberto Dias:

“Antes de prestar depoimento na quarta-feira, o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias procurou a cúpula da comissão de inquérito dizendo ter informações bombásticas para detonar na CPI. As revelações, segundo ele, haviam sido reunidas em um dossiê cujas cópias foram enviadas a seu primo, o empresário Ronaldo Dias, ex-diretor do laboratório Bahia Farma, que mora hoje em Madrid, na Espanha. 

O papelório, de acordo com o ex-diretor de Logística, conteria provas de que os ministros Braga Netto, ex-Casa Civil e atual titular da Defesa, e Luiz Eduardo Ramos, ex-Secretaria de Governo e atual Casa Civil, pressionavam os integrantes do Ministério da Saúde a receber os intermediários das vendas de vacinas, num processo já reconhecidamente para lá de sujo. Quem teve acesso aos documentos diz que os militares palacianos teriam afirmado algo na linha ‘vamos agilizar isso’, deixando claro que a negociação era do interesse da casa. Ou seja, do Planalto.” 

O acordão fechado no próprio Planalto entre os militares bolsonaristas e o Centrão para abafar o dossiê de Roberto Dias enfureceu Omar Aziz, que mandou prender o sujeito.

Leia aqui a reportagem completa da Crusoé, que revela também as manobras de Jair Bolsonaro para calar os explosivos Luis Miranda e Ricardo Barros.

Mais notícias
TOPO