O elo entre Gleisi (“Coxa”) e a Odebrecht

Gleisi Hoffmann é alvo de inquérito sigiloso no STF que apura se a senadora praticou os crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

Segundo a PGR, o empresário Bruno Martins Gonçalves Ferreira teria repassado os R$ 500.000 da Odebrecht para Leones Dall’agnol, cujo currículo é longo: coordenador da campanha de Gleisi ao governo do Paraná em 2014, ex-chefe de gabinete de Gleisi na Casa Civil e integrante do conselho de administração dos Correios, quando Paulo Bernardo era ministro.

“Ouvido sobre os fatos, Bruno Ferreira asseriu que levou uma pessoa de nome Leones, chefe de gabinete da Senadora Gleisi Hoffmann, do aeroporto de Congonhas até o edifício da Odebrecht, ocasião em presenciou reunião entre Leones e Fernando Migliaccio da Silva na qual foi discutido o pagamento de verbas para a campanha da referida senadora”, diz o relatório da PGR, segundo a Veja.

Faça o primeiro comentário