O elogio da senilidade

Na sessão de hoje da Alerj, o deputado André Lazaroni tentou elogiar a senioridade de seu colega de plenário Luiz Paulo e acabou dizendo “senilidade”, conta Gabriel Barreira, do G1.

Lazaroni, que já foi secretário de Cultura do Rio, é aquele mesmo deputado que trocou Bertolt Brecht por Bertoldo Brecha num discurso a favor de Jorge Picciani, no final do ano passado.

Acontece nos melhores Legislativos. E nos piores também.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais comentários