O espanto da Folha de S. Paulo

Telegram

A Folha de S. Paulo, em editorial, espanta-se com a popularidade de Jair Bolsonaro:

“Espanta a resistência do candidato e de sua agenda precária, que mistura a agressividade retórica, não raro de alarmantes tons autoritários, a um programa econômico ultraliberal forjado de última hora.

Com tempo irrisório de propaganda e sob ataque dos adversários, logrou avançar nas pesquisas durante a campanha —ainda que apareça em desvantagem nas simulações de segundo turno.

Renan Calheiros: será que ele vai retomar o poder no Senado? Leia aqui

Se lá chegar, como tudo leva a crer às vésperas da votação, disporá de exposição inédita no rádio e na TV. Nessa hipótese, espera-se que utilize os dez minutos a que terá direito de segunda a sábado (fora as inserções curtas) para esclarecer as muitas e graves dúvidas que pairam sobre seus propósitos.

Ele se recupera bem, felizmente, do abominável ataque a faca que sofreu e impediu sua presença nos últimos debates. Bem menos justificável, diga-se, é o sumiço de seu principal assessor econômico.”

A Folha de S. Paulo se espanta porque foi incapaz de olhar seus próprios leitores, que preferem Jair Bolsonaro a Fernando Haddad – com folga.

Comentários

  • Marçal -

    Ladrões e esquerdopatas sempre se impressionam quando a justiça vence. Aliás, é surreal ver um bandido como Dirceu, solto pelo trio do STF, falar abertamente sobre seus planos de ditador.

  • Rene -

    Interessante... nós não nos espantamos com o pouco caso com que a Folha trata a verdade.

  • Sueli -

    Vc já cancelou sua assinatura na Folha de SP? O que está esperando?

Ler 413 comentários