O ESQUEMA REVELADO

A revelação de que a campanha de Dilma Rousseff contratou uma empresa de fachada que subcontratou a empresa do assessor do tesoureiro da própria campanha é uma bomba atômica.

O Antagonista denunciou a atuação de Keffin Gracher há mais de um ano, mas nada foi feito. Além da 2k Comunicação, o assessor de Edinho abriu a Dialógica Comunicação, que também foi beneficiária de repasses diretos da campanha petista.

Releiam, por favor, o que publicamos:

Pixulequinho de Edinho

O inquérito que vai apurar as irregularidades na campanha de Dilma vai conter um capítulo sobre a Engevix, que doou R$ 1,5 milhão. O dinheiro entrou no dia 2 de outubro e no mesmo dia saiu para pagar fornecedores suspeitos – um deles é a Dialógica Comunicação.

A empresa pertence a Keffin Gracher, assessor especial de Edinho. A Dialógica foi criada em 2013 e fechada este ano, pouco antes da nomeação dele. Na campanha do ano passado, ela embolsou R$ 1,5 milhão, dos quais R$ 420 mil foram pagos pelo próprio petista.

Pixulequinho de Edinho (2)

Além da campanha de Dilma, Keffin Gracher também emitiu notas para a campanha de Andrés Sanchez por meio de outra empresa: a 2K Comunicação, cujo endereço é uma humilde residência em Cachoeira Paulista.

A empresa foi aberta em maio de 2014, às vésperas da eleição.

A campanha de Sanchez já é alvo de inquérito no STF.

Pixulequinho de Edinho (3)

Ainda sobre Keffin Gracher: o assessor especial de Edinho Silva também foi auxiliar de Aloizio Mercadante. Hoje, Gracher está encarregado da nobre tarefa de administrar uma verba de R$ 30 milhões para publicidade oficial na internet.