O exemplo de Pimentel

O conselho de administração da Cemig, a companhia energética de Minas, aumentou os jetons dos integrantes do colegiado em meio a ameaça de um processo de impeachment contra o governador Fernando Pimentel por corte no repasse de verbas para municípios, informa o Painel da Folha.

O aumento na bonificação dos conselheiros foi de R$ 14 mil para R$ 20,5 mil.

Este é o terceiro reajuste em três anos.

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 17 comentários
  1. E continua solto.
    Falando nisso, em que pé está o processo contra a segunda dama Carolina Oliveira, o secretário Marco Antônio Rezende e o pau mandado Paulo Moura Ramos, sobre quem não existe dúvida apenas certeza?
    Tem gente vendo isso em Brasília?

  2. “A região do Jequitinhonha ou Vale do Jequitinhonha é uma das doze mesorregiões do estado de Minas Gerais. É formada pela união de 51 municípios agrupados”.
    [wikipedia.org]
    “Famílias passam fome no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais”.
    [YouTube – LBV Brasil – 9 de ago de 2017]
    “Quando se fala em Vale do Jequitinhonha logo se pensa na seca e na pobreza. Os elevados índices de pobreza, desnutrição, mortalidade, analfabetismo, desemprego e infraestrutura socioeconômica apresentados pela região ocasiona êxodo rural para os grandes centros urbanos e um esvaziamento demográfico persistente, o que leva a região a ser considerada em vários estudos como “região deprimida”. (…) ainda existe a carência de investimentos públicos e privados na região. (…)”
    [https://www2.ufmg.br/portalpolo/2017]

  3. Enquanto isso, aqui em Minas, não conseguimos que a CEMIG disponibilize energia elétrica para minha empresa funcionar, o que rola solto e todo mundo sabe, é que só sai se tiver “alguém conhecido” lá. VOTE PARTIDO NOVO JÁ!

  4. Que inferno de país!
    . .
    A lógica diz claramente que a solução é ptivatizar. O problema é que o Brasil NÃO É UM PAÍS LÓGICO.
    O bom senso diz que se privatizarmos a roubalheira e/ou incompetência/ineficiência acabam. O problema é que o Brasil NÃO TEM BOM SENSO.
    Aqui quando se privatiza arrumam um forma de roubar por meio de agências reguladoras, por edição de leis que garantem um monopólio (no máximo 2 ou 3 empresas dominando um setor, exceto, se forem multinacionais), aprovam concessão de 70 anos, etc,etc.
    É o que sempre digo O PRINCIPAL PROBLEMA EM PRIVATIZAR O SETOR ELÉTRICO É QUE A ÁGUA USADA PARA PRODUZIR ENERGIA É A MESMA QUE A GENTE BEBE.
    Nunca vou esquecer do comentário de Geraldo durante a crise hídrica de SP sobre a prioridade da ANAS em gerar energia.
    O sistema é fod… parceiro

    1. Concordo Renata, talvez a solução seja uma maior abertura do mercado para alguns setores, isso ajudaria, principalmente na aviação, telefonia, etc (Partido Novo já)

  5. Jorge e Vana , assim eram chamados os terroristas Pimentel e Dilma , na década de 70. Explodiam , assaltavam , sequestravam , ….Foram poupados pelos heróis militares daquela época , infelizmente .