O fim do mundo (para Lula)

“Não vai ser o fim do mundo, mas são informações suficientes para colocar o sistema político em xeque”.

Foi o que disse uma fonte de O Globo, referindo-se aos anexos da Odebrecht.

Como interpretar isso?

Michel Temer – codinomes “Trem” e “Sem Medo” – será mencionado, mas talvez não haja o bastante para derrubá-lo.

Os maiores arrecadadores do esquema de propinas da Petrobras, que bancou as campanhas eleitorais da ORCRIM, serão delatados, em particular Antonio Palocci, Guido Mantega e Eduardo Cunha, mas muitos deputados e senadores devem se safar alegando que receberam apenas caixa dois.

E Lula, o Amigo?

Lula está morto, porque a PF, excluída dos acordos com a Odebrecht, já encontrou sua “conta corrente da propina” sem a precisar da ajuda dos delatores.

Faça o primeiro comentário