ACESSE

O golpe de internet que mobilizou o gabinete presidencial

Telegram

Reportagem de André Spigariol, na edição desta semana da Crusoé, mostra como o gabinete presidencial mobilizou tempo e energia de técnicos para concluir que o Planalto havia sido alvo de um golpe conhecido na internet. No caso, a promessa era de meio trilhão de dólares para o Brasil.

Leia um trecho:

“Não é segredo para ninguém que a pandemia abriu um rombo nos cofres públicos. Em meio à crise, o Ministério da Economia teve de envidar esforços para analisar o que seria uma doação generosa de fundos ao governo brasileiro: 500 bilhões de dólares. A oferta chegou por meio de várias cartas enviadas para o presidente Jair Bolsonaro. A história estava toda contada lá. O dinheiro, em poder de fundações internacionais, teria origem em polpudas heranças esquecidas nos Estados Unidos. O gabinete do presidente não só acreditou como mandou que técnicos do governo avaliassem a proposta.

Propostas mirabolantes como essa são conhecidas de quase todos que têm uma caixa de e-mail. Elas chegam de várias partes do mundo e variam de personagens, mas o enredo de fundo é quase sempre o mesmo: supostos príncipes africanos, xeiques, filhos de multimilionários e altos executivos de grandes empresas se apresentam oferecendo verdadeiras fortunas ao destinatário. Alguns dos generosos ‘doadores’ exigem contrapartidas. Para outros, basta que o destinatário responda dizendo que topa a empreitada. O dinheiro, por óbvio, jamais vai aparecer na conta dos interessados – tudo não passa de uma fraude.”

Leia aqui a reportagem completa.

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

  • Pedro -

    Digamos que tivesse uma possibilidade de 1 em 1 bilhão e ele a recusasse, no outro dia tava lá o falafina Depêváti no STF com o crime de responsabilidade. kkkkkkkkk Anta cagonista dá um tempo...

  • Duk -

    Isso acontece porque o jumento louco conseguiu reunir a "nata" da burrice burocrata em seu gabinete.

  • Welger -

    Brasil, um país de tolos.

Ler 31 comentários