"O governo não tem seis meses e a palavra impeachment já surgiu"

O presidente da comissão especial da reforma previdenciária, Marcelo Ramos, disse ao Valor que já estamos num semiparlamentarismo:

“A Câmara vai tomar para si a reforma. O Executivo sempre controlou a pauta do Legislativo, mas a situação é outra (…). Estamos em um semiparlamentarismo.”

Sobre Jair Bolsonaro, ele disse:

“Há um sentimento de desilusão. O presidente tem se esforçado para que as pessoas desistam dele (…). A trajetória política dele é comprometida com o atraso, com as corporações, com o descontrole do gasto público. O entendimento do Bolsonaro de país é muito precário. Ele não tem noção de nada.”

E mais:

“O governo não tem seis meses e a palavra impeachment já surgiu. Quem vai ter segurança de investimento em um país com uma instabilidade política como essa? Eu não embarco no discurso do Guedes. Porque se eu embarcar, dois meses depois da aprovação da reforma, vão me cobrar que o emprego tenha melhorado. Não vai melhorar. Outro discurso que não embarco é que reforma é só para combater privilégio. Não é. Reforma é para fazer ajuste fiscal.”

Comentários

  • RINDOdosESQUERDOPATA -

    Falou o comunista cafajeste!

  • Davi -

    O Executivo mandava porque comprava. Simples assim. Agora acabou a teta e os ratos estão nervosinhos...

  • Philippe -

    Desmemoriados já esqueceram como foi no desgoverno FHC.

Ler 49 comentários