"O Grupo Petrópolis agiu como verdadeiro banco de propina da Obebrecht"

Na coletiva da 62ª fase da Lava Jato, o procurador da República Felipe D’Elia Camargo disse que os fatos investigados são “um grandioso esquema de lavagem de dinheiro”.

O esquema, segundo ele, resultou:

— em pagamentos de propinas de, pelo menos, 208 milhões de reais em espécie.

Exclusivo: 3 semanas antes de Toffoli travar investigações baseadas em dados do Coaf e da Receita, o Fisco pediu explicações a empresas que contrataram os serviços do escritório da mulher dele. LEIA AQUI

— em pagamentos ilícitos de pelo menos 121 milhões de reais “travestidos de doações eleitorais”;

— e em 106 milhões de dólares de pagamentos no exterior.

“Nesse contexto, as investigações apontam que o Grupo Petrópolis agiu como verdadeiro banco de propina da Obebrecht, realizando a gestão, a disponibilização e a destinação de valores para pagamentos ilícitos no país, em espécie e travestidos de doações eleitorais.”

Comentários

  • Idgar -

    E tem erudito na internet, que tem blog e programa no YouTube, condenando a Justiça por prender essa laia que não sabe de outra cousa na vida que não seja corrupção! Ser amigo de ladrão é brabo!

  • Nilda -

    Grande Claudio! Que paciência!!!!!

  • brasileiro -

    #LavaJatoPatrimonioDoBrasil

Ler 17 comentários