O incômodo dos aliados de Temer com os militares

O protagonismo exercido por militares no governo de Michel Temer tem gerado incômodo nos corredores do Palácio do Planalto, segundo o Estadão.

“A reação, ainda velada, vem de auxiliares e aliados, que argumentam não ser bom para o presidente ter a sua imagem atrelada à dos militares. Contudo, o que tem mais pesado é o temor de perderem espaço político ao lado de Temer com a ascensão de generais a postos estratégicos.

(…) Temer, porém, tem afirmado em resposta às desconfianças que é preciso acabar com o ‘preconceito’ em relação às Forças Armadas.”

Ao menos no caso do Ministério da Defesa, o presidente tem sido pressionado a rever a indicação do general Joaquim Silva e Luna, primeiro militar a chefiar a pasta.

A intenção de Temer era mantê-lo no cargo, mesmo como interino, até o fim do mandato, mas nos últimos dias vem admitindo substituí-lo por um civil.

Em entrevista ao jornal, Silva e Luna afirmou que “os militares não querem protagonismo” e não pediram para assumi-lo, mas foram “convocados”.

 

Comentários

  • Erigilson -

    Em entrevista ao jornal, Silva e Luna afirmou que “os militares não querem protagonismo” e não pediram para assumi-lo, mas foram “convocados”. A preocupação dos aliados do Temer não é o Ministro ser militar, É não ter mais um Ministério Cabide de emprego para lotear com os seus afilhados. Que o comando das Forças Armadas se imponha. Quem será nomeado, um condenado, um desconhecedor total da pasta ? O governo que crie o MINISTÉRIO DOS PUXA SACOS para satisfação desses corruptos que estão insatisfeitos. Tenho dito

  • contribuinte -

    Sem dúvida, neste país de políticos imbecis, melhor é ter imagem ligada a traficantes.

  • Ema -

    Acho correta a afirmação do coronel, e deve se manter dura na sua posição, pois caso contrário a coisa desandará

Ler 101 comentários