O intelectual paraguaio Demétrio Magnoli

Demétrio Magnoli fez um artigo realmente estúpido na Folha de S. Paulo.

Ele disse que o impeachment de Dilma Rousseff transformaria “o Brasil num imenso Paraguai”. Porque se ela fosse “apeada com a facilidade com que se abreviou o mandato de Fernando Lugo… o Brasil retrocederia do estatuto de moderna democracia de massas ao de uma democracia oligárquica latino-americana”.

Numa moderna democracia de massas – e é provável que Demétrio Magnoli saiba disso -, o partido de governo não embolsa 300 milhões de dólares em propinas para financiar suas campanhas eleitorais. O partido de governo também não rouba a mesma quantidade de dinheiro da maior empresa do país para comprar parlamentares de outros partidos. O Brasil está muito mais próximo de ser uma democracia oligárquica latino-americana do que o Paraguai.

Segundo Demétrio Magnoli, em vez de cassar o mandato de Dilma Rousseff, os oposicionistas deveriam oferecer-lhe apoio em troca de cargos, compondo “um governo transitório de união nacional”.

Como o que a Líbia está tentando fazer agora. E o Afeganistão. Duas modernas democracias de massas.