O jantar descontraído de Temer e seus aliados

A menos de um mês de passar a faixa a Jair Bolsonaro, Michel Temer e dois de seus ministros, Eliseu Padilha e Carlos Marun, reuníram-se com deputados mais próximos na casa de Heráclito Fortes, diz a Coluna do Estadão.

Segundo o jornal, o jantar, “regado a vinho, contou com um clima descontraído”.

Um dia antes, Raquel Dodge dissera ao STF ter encontrado indícios de que o presidente cometeu o crime de corrupção passiva.

A bomba-relógio que vai estourar no colo de Jair Bolsonaro. E no seu

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 19 comentários
    1. Não só eles,já que só quem foi contra o reajuste do STF foi Cármen Lúcia,Edson Fachin,Rosa Weber e Celso de Melo,se me lembro bem.

  1. Há mais de 30 anos sabe-se da sociedade Temer/Wagner Rossi no porto de Santos, quando começaram as denúncias de corrupção desta máfia. A excelente Raquel, agora, encontrou “indícios” de corru

  2. Coitado de O Antagonista. Quebrou a cara na maracutaia do Janot e Joesley Safadão e, para piorar, acreditou no tal “Inquérito dos Portos” e na “Delação da Odebrecht”. A dor de corno é imensa