‘O Lúcio prometeu, mas não se efetivou’

O juiz Vallisney de Oliveira é insistente em querer saber se Alexandre Margotto recebeu propina no esquema do Porto Maravilha.

O empresário respondeu, mais uma vez: “O Lúcio prometeu, mas não se efetivou”.

Margotto acrescentou:

“O Funaro me dava dinheiro aleatório, mas a gente não ‘batia planilha’.”

“Ele me dava 20, 30, 40, 50 mil por mês, era algo aleatório, eu não sei, eu não sei. O Lúcio é uma pessoa bem organizada, ele deve ter aí os centavos que me deu.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 1 comentários