O macaco e a Petrobras

Flashback. Em 23 de outubro de 2013, o blog Brasil24/0000 excitou-se muito porque eu, Diogo, havia reaparecido no Twitter para atacar a Petrobras. Seus autores diziam: “Mainardi republicou uma coluna em que afirma que o pré-sal é um engodo, em que insinua que o Brasil colocou um macaco na presidência”.

O blog Brasil24/0000 é melhor em matéria de ética do que de português. Mas seu post é parcialmente verdadeiro. De fato, escrevi inúmeras vezes que o pré-sal era um engodo e que a Petrobras perderia uma montanha de dinheiro com o novo modelo de partilha. Em 2009, por exemplo, publiquei o seguinte comentário: 

“O pré-sal tem tudo para repetir o ciclo da borracha. Do apogeu à queda. A belle époque amazonense recorda a belle époque lulista. De um lado, os magnatas da floresta; do outro, os magnatas do sindicato. A borracha amazonense desvalorizou-se quando os ingleses plantaram seringais na Malásia. É o que pode ocorrer com o petróleo. Rodrigues Alves tomou posse do Acre para garantir o monopólio da borracha. Lula está tomando posse do pré-sal para garantir o monopólio do petróleo. Sim, o pré-sal tem tudo para repetir o ciclo da borracha. Nesse caso, o lulismo é uma espécie de Madeira-Mamoré do pensamento: inútil e deficitário”.

Quanto ao macaco na presidência, entretanto, o blog Brasil24/00000 desvirtuou minhas palavras. Eu nunca disse que o Brasil havia colocado um macaco na presidência, Eu disse apenas – e mantenho minha opinião – que teria sido preferível eleger um macaco.

 

Um macaco na presidência e outro no blog