O manifesto de Temer

O PMDB se prepara para romper com Dilma Rousseff.

Os diretórios de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul vão levar à convenção do partido uma carta propondo esse rompimento.

Eis a íntegra da carta, antecipada ontem por Andréia Sadi, da GloboNews:

“Nosso país sofre uma das mais graves crises econômica moral e política de sua história.

Seu resultado mais visível é a queda vertiginosa da produção econômica, com a maior redução do PIB dos últimos 25 anos. Empobrecemos rapidamente. Essa crise é resultante de escolhas erradas das políticas de Governo, e traz de volta demônios que a Nação imaginava exorcizados: inflação, desemprego, desindustrialização, total desarranjo das contas públicas.

A crise ética avilta a Nação e chega ao centro do poder! A crise política alterna a condição de causa e efeito do quadro emergencial que vivemos agora.

Mas tais crises estão ainda no seu início. Na raiz de tudo está uma condução do país errática, desacreditada e que se enfraquece a cada dia. Agora o Governo, sem apontar um caminho claro, rende-se a um jogo político pautado pela pressão por cargos, num leilão sem qualquer respaldo em projetos ou propostas, sem conseguir apontar um horizonte de esperança para o povo brasileiro.

Diante desse quadro, nós militantes e lideranças do PMDB, nos manifestamos no anseio de que o nosso partido seja chamado a construir outro tipo de projeto para o Brasil:

– Considerando que nosso partido, embora partícipe da base do governo federal, nos últimos anos, e tendo o Vice Presidente da República, jamais teve suas propostas consideradas e foi sequer convidado a participar das decisões governamentais que levaram a essas crises.

– Considerando que as decisões políticas estratégicas nacionais, ao longo desses últimos anos, foram tomadas exclusivamente pelo PT, determinando a situação atual.

Propomos;

1) que o PMDB se afaste dessa desastrosa condução do país e atue de forma independente do Governo Federal, nas suas ações e nas posições no Congresso Nacional. Temos que desembarcar do Governo e construir a unidade em torno do Vice-Presidente Michel Temer e do Partido, para socorrer o Brasil e ajudá-lo a sair do precipício onde se encontra. Isso é incompatível com seguir cegamente um governo que nunca nos ouviu ou respeitou.

2) nosso posicionamento será sempre com a nossa consciência e com o Brasil, respeitando a vontade da população, expressa mais de uma vez nas pesquisas e nas ruas do nosso país.

3) queremos, dentro do Partido e com a sociedade, debater e apontar soluções para o Brasil, que tenham sempre a questão ética e moral como base, criem um novo pacto federativo, reduzam a máquina pública e retomem o desenvolvimento econômico e social para todos os brasileiros, como vem sendo proposto por Michel Temer”.

Faça o primeiro comentário