O ministro “pragmático” do poste

Fernando Haddad foi questionado pela Folha sobre a definição de um perfil para o Ministério da Fazenda em um eventual governo petista. O poste respondeu que precisa ser alguém “pragmático”, e não um “economista figurão”.

Ele também foi questionado se indicaria Ciro Gomes para o ministério, mas o candidato desconversou e disse que a definição da equipe só será feita no segundo turno.

O poste acredita mesmo que está no segundo turno.

Você quer saber o que está por trás da campanha do petista Fernando Haddad para a Presidência? Clique AQUI.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 31 comentários
  1. A imprensa não explora sobre o ministro da economia do Haddad porq não faz diferença ou porq não tem esperança que passará para o segundo turno? Pergunta: por que tanta sanha para cima do Bolson

  2. Como ser Ministro da Fazenda em qualquer governo do PT: Criar novos impostos e aumentar os que já existem, imprimir dinheiro até um pãozinho valer R$ 100,00 e cortar juros na canetada. Pronto!

    1. Sim, a única possibilidade do PT chegar lá é com fraude. Mas quem duvida que isso seja impossível, já que não quiseram nos conceder o voto impresso JUSTAMENTE PARA PAVIMENTAR A FRAUDE?

  3. A militância do PT é raivosa, intolerante e agressiva! A militância do PSL é raivosa, intolerante e agressiva! Ambas não democráticas! Quem ganhar; O BRASIL perde!🖤 TEMO PELO BRASIL🖤

  4. Alerta aos eleitores de Alckmin, Alvaro, Meirelles, Amoêdo e Daciolo: Andrade/lulla na presidência e Tofolli no STF! O que vocês acham que acontecerá ao nosso país? Vote pelo Brasil, vote 17 1º

    1. Esse sequer tem um nome, e, muito provavelmente, será outra porcaria como Mantega ou Dilma. Mas a mídia suja não vai SEQUER questioná-lo a respeito!

    2. Queria ver se a Dona Leitoa diria p/ Haddad q “seus eleitores tem q rezar p/ ele achar um economista até janeiro”. Já B17, cansaram d perguntar “e se brigasse com Guedes?”. Esse aí nem tem um n