O ministro que durou um dia

A Folha de S. Paulo, neste domingo, publica uma entrevista com o Ministro do Planejamento Nelson Barbosa, concedida dois dias atrás, antes que Dilma Rousseff o desmoralizasse publicamente. De lá para cá, ele se tornou um zumbi ministerial. Só a Folha de S. Paulo ainda lhe dá algum crédito.

Dilma Rousseff já mostrou como Nelson Barbosa deve ser tratado. Ontem à tarde, ela ordenou que o ministro emitisse uma nota desmentindo tudo o que dissera à própria Folha de S. Paulo sobre o reajuste do salário mínimo. Além disso, ela mandou que sua assessoria de imprensa espalhasse um relato pormenorizado sobre a descompostura que lhe passou. De fato, todos os jornais repetiram a mesma fórmula: “irritada” ao ler as manchetes “na Base Naval de Aratu”, na Bahia, “onde descansa”, a presidente “determinou” por “telefone” que o ministro emitisse uma nota “voltando atrás” em suas blagues. Mais do que enquadrar Nelson Barbosa, Dilma Rousseff quis humilhá-lo, revelando os detalhes de seu pito. Qualquer pessoa com um mínimo de caráter já teria pedido demissão. Nelson Barbosa, claro, continua no cargo.

Hoje, lendo a entrevista do ministro na Folha de S. Paulo, Dilma Rousseff ficará novamente irritada, sobretudo quando ele diz que o atual desvario no gasto público é “insustentável” a longo prazo. Aguarda-se um desmentido.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200