ACESSE

O motivo para a saída de Zanin é outro

Telegram

O motivo para a provável saída do escritório “Teixeira, Martins e Advogados” da defesa de Lula não está relacionado à condenação do ex-presidente em segunda instância.

O problema é que Roberto Teixeira, que comanda a banca, será condenado em breve por Sérgio Moro, ao lado de Lula, em pelo menos uma ação penal.

Teixeira é réu no caso da propina da Odebrecht para a compra de uma sede para o Instituto Lula e do duplex de São Bernardo do Campo, vizinho ao do ex-presidente e registrado em nome do laranja Glaucos da Costamarques, primo de José Carlos Bumlai.

O advogado, que é compadre de Lula, também deixou sua digital no sítio de Atibaia, usando o escritório para estruturar a aquisição da propriedade em nome de Jonas Suassuna e Fernando Bittar.

E só não virou réu porque a Lava Jato, por enquanto, denunciou Lula pela reforma da propriedade e não pela compra.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 57 comentários