O MST “esclarece”

Em treinamento para o banho de sangue prometido por Lula caso o PT seja apeado constitucionalmente do poder, o braço feminino do grupo paramilitar mais conhecido como Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) destruiu milhares de mudas transgênicas de uma fábrica de papel e celulose, em Itapetininga, no interior de São Paulo.

O G1 noticiou que o MST “esclarece” que a destruição faz parte da Jornada Nacional de Luta das Mulheres Camponesas.

Piedade, não sou transgênico