O olé de Beckembauer Rivelino

O dono da gráfica VTPB, Beckembauer Rivelino, recebeu quase 30 milhões de reais em 2014. No final de 2012, no entanto, sua situação financeira devia estar crítica.

Um processo que corre no Tribunal de Justiça de Minas Gerais mostra que o empresário solicitou atendimento para um dos cavalos de sua fazenda em Campo Belo, Minas Gerais, a um veterinário da região de Varginha.

Após o tratamento inicial, Beckembauer Rivelino foi informado de que o cavalo deveria “ficar em observação por um determinado período, devido estar muito debilitado, pela doença e pela fadiga da viagem. Contudo, o Suplicado (Beckembauer) preferiu retirar o animal, que não resistiu e morreu logo após o embarque”.

O veterinário lhe cobrou 800 reais pelo serviço. Beckembauer Rivelino se recusou a pagar. Segundo o advogado do veterinário, Marino Mendes, Beckembauer Rivelino nunca foi encontrado, nem possui bens em seu nome. Quem o representou na audiência de conciliação, em setembro de 2013, foi Wilker Correa de Almeida, seu sócio na VTPB. Na audiência, foi acertado que Beckembauer Rivelino pagaria uma entrada de 300 reais e 10 parcelas de 50 reais. O processo, então, foi arquivado, mas o “suplicado” ainda deve 500 reais ao veterinário.

Procurado pelo Antagonista para falar sobre o assunto, Wilker Correa de Almeida disse que estava ocupado.

Beckembauer Rivelino não pagou 500 reais por serviços de um veterinário em Minas Gerais

Faça o primeiro comentário