O operador máximo da ORCRIM

Na República de Curitiba, continua o julgamento de Antonio Palocci, o operador máximo da ORCRIM, o número dois do PT.

Hoje serão ouvidos pelo juiz Sergio Moro os seguintes delatores: Pedro Corrêa, Zwi Skornicki e Delcídio Amaral.

O depoimento que realmente importa ainda não foi marcado: o de Marcelo Odebrecht.

200