O padre de Gim dá trabalho

Moacir Anastácio, o padre amigo de Gim Argello envolvido na Lava Jato, tem carro de luxo e fazenda não declarados, informa o Estadão. Foi ele quem recebeu R$ 350 mil de doação da OAS por indicação do ex-senador.

O Antagonista sabe que o religioso dá trabalho à Igreja de Brasília e não é de hoje.

Ele virou padre diocesano após ser expulso do seminário franciscano na capital federal – os superiores não acreditavam na sua capacidade de se ordenar sacerdote.

Depois de superar as resistências internas, Moacir se transformou em um “fenômeno” com suas orações de cura e libertação. Se os fiéis o idolatram, a maior parte do clero não tem nenhuma empatia por ele.

O padre de Gim, cortejado por políticos em busca de visibilidade e votos, não permite que seus eventos sejam associados à Arquidiocese de Brasília e não faz questão de disfarçar sua vaidade.

A cúpula da Igreja sabe dos problemas que Moacir acarreta, mas nunca teve coragem de enquadrá-lo de verdade, pois ele comanda a paróquia mais rica do Distrito Federal, além de ser o religioso que mais arrebanha fiéis na região.

Faça o primeiro comentário