O Panamá não colabora

A Lava Jato considera o Panamá o mais problemático dos 28 países que estão colaborando com a investigação. De acordo com a Folha, um pedido feito há onze meses pela PGR só foi respondido parcialmente até o momento.

O paraíso fiscal é crucial para explicar os casos envolvendo Jorge Luiz Zelada, ex-diretor da Petrobras, e a Odebrecht.

Mas, para desespero dos advogados da empreiteira, um dos países mais solícitos vem sendo a Suíça.