O PASSADO DE FLÁVIO E QUEIROZ

O PASSADO DE FLÁVIO E QUEIROZ
Foto: Reprodução/redes sociais

Documentos inéditos obtidos pela Crusoé mostram que Flávio Bolsonaro empregou Fabrício Queiroz em 2003, e não em 2007, quando ele assumiu oficialmente o comando de seu gabinete.

“Queiroz começou a ciceronear Flávio ainda no primeiro mandato de deputado do 01, em agosto de 2003. Foi cedido pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, onde trabalhava, de forma ‘oficiosa’, para ser um agente de segurança a serviço do filho do presidente (…).

Trata-se de uma novidade que ajuda a entender algumas passagens do relacionamento entre os dois. O PM da reserva chegou ao gabinete de Flávio três meses após se envolver no homicídio de um morador da favela da Cidade de Deus, durante uma operação. Outro policial metido no caso era o então capitão Adriano da Nóbrega (…).

Como, oficialmente, Queiroz se tornou assessor contratado pela Assembleia só a partir de 2007, os promotores pediram e a Justiça determinou as quebras de sigilos bancário e fiscal dos envolvidos no rachid a partir daquele ano. As transações, porém, podem ter começado bem antes.”

Não perca a reportagem da Crusoé, com os documentos. Leia aqui.

Leia mais: Dinheiro nas nádegas: e se você não soubesse disso?
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 36 comentários
TOPO