O PCC comprou os direitos humanos

O PCC pagou 130 mil reais ao vice-presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Luiz Carlos dos Santos.

Em troca dos valores, diz a Veja, “Santos atuaria em benefício dos membros da facção apresentando queixas de maus tratos e precariedades no sistema carcerário de São Paulo, segundo informações da Polícia Civil”.

Quanto aos 32 advogados que foram presos junto com ele, “não faziam a defesa jurídica dos criminosos nos tribunais, mas usavam a carteira de trabalho para acessar os presídios e fazer contato com os cabeças da organização. Entre os recados que eles transmitiam, estão ordens para abrir ou fechar biqueiras (ponto de venda de drogas) e ameaças quem não estivesse seguindo as orientações da cúpula”.

Faça o primeiro comentário