O Petrolão é do PT

A manchete da Folha de S. Paulo é um vexame:

“Com manobra do PMDB, CPI investigará apenas eras Lula e Dilma”.

A reportagem é pior ainda:

“O PMDB da Câmara dos Deputados articulou uma estratégia nos bastidores com o presidente da CPI da Petrobras para isolar o PT na nova comissão e limitar os trabalhos de investigação aos governos Lula e Dilma (2005-2015), como quer a oposição”.

O empenho da Folha de S. Paulo em demonstrar que a CPI está sendo manobrada por uma gentalha mal-intencionada para incriminar apenas o PT e acobertar os crimes cometidos pelo PSDB vai adiante:

“A operação do PMDB visa desidratar os planos do relator da comissão, Luiz Sérgio (PT-RJ), de investigar desvios na estatal desde o período de Fernando Henrique Cardoso… O relator se baseia no depoimento de Pedro Barusco que, em sua delação premiada, afirmou que começou a receber propina entre 1997 e 1998”.

O Antagonista concorda que o foco da CPI tem de ser o depoimento de Pedro Barusco. Ele deu uma planilha à Lava Jato com detalhes de todos os pagamentos de propina do esquema da Petrobras. O primeiro contrato registrado por ele é o da Keppel Fels, de 15 de dezembro de 2003, para construir a P-52. Naquela ocasião, My Way, ou Renato Duque, embolsou R$ 7,7 milhões. E o PT embolsou outros R$ 7,7 milhões.

A Folha de S. Paulo pode continuar dizendo que PSDB e PT roubaram da mesma maneira. Mas o Petrolão tem dono: ele é só do PT.

P-52: o primeiro contrato do Petrolão

Faça o primeiro comentário