O Petrolão suíço

A Lava Jato desembarcou em Lausanne com uma equipe de oito pessoas. Ontem os procuradores brasileiros reuniram-se por oito horas com seus colegas suíços. A Veja online revelou que “documentos bancários colhidos nos últimos seis meses pelo Ministério Publico da Suíça com instituições financeiras como o UBS apontam que o esquema de corrupção da Petrobras não envolveu apenas brasileiros, mas também contou com estrangeiros que atuaram como intermediários e operadores nos pagamentos e transferências de recursos”. 

A suspeita, segundo os investigadores brasileiros e suíços, “é de que esses estrangeiros também estejam envolvidos nos pagamentos que podem ter saído da empreiteira Odebrecht”. 


O relógio suíço faz tic tac para a Odebrecht