O pixuleco evangélico

Rodrigo Janot afirma que os pagamentos de propina a Eduardo Cunha, feitos por Júlio Camargo, via Fernando Baiano, foram realizados de quatro formas:

a) em contas no exterior

b) em espécie

c) por meio de contratos fraudulentos de consultoria

d) transferências para uma igreja vinculada a Cunha, sob a alegação falsa de doações religiosas.