Retrospectiva 2020

“O poder não inicia na toga. O poder inicia no cano do fuzil”

“O poder não inicia na toga. O poder inicia no cano do fuzil”
Foto: Igo Estrela/Folhapress

Convertido ao bolsonarismo, o ex-collorido, ex-lulista e ex-temerista, mas sempre temerário, Roberto Jefferson protagonizou diversos ataques à oposição ao governo e, principalmente, ao Supremo Tribunal Federal.

No mais histriônico deles, direcionado a Celso de Mello (que, na ocasião, era o responsável por investigar a suposta interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal), Jefferson disse que o ministro queria “mostrar que a toga é mais forte do que o fuzil”, mas era o contrário.

O ex-deputado afirmou, ainda, que Alexandre de Moraes “era ministro [ele quis dizer advogado] do PCC”.

Jefferson não é um Jefferson.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo investigativo mais independente do país.
Mais notícias
TOPO