O preço do perdão

A União pediu R$ 40 bilhões para que a Andrade Gutierrez continue autorizada a prestar serviços ao poder público no Brasil, informa O Globo.

Embora o valor do acordo de leniência possa ser parcelado por décadas, a Andrade cogita não aceitar a proposta, alegando que pode ir à falência.

Entre 2012 e 2016, a receita bruta da construtora foi de R$ 33,4 bilhões.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

Ler mais 25 comentários
  1. É isso q acontece qdo se tem um sócio sugador, corrupto, q não gera nenhuma riqueza e q só avacalha! Pois bem se uma empresa do porte dela declara isso, imagina os cidadãos pagadores de impostos, q tem q aguentar o abuso e incompetência deste estado Dilmanesco, tenderesco com filosofias lulistas, administração lulo-petista-bolivariano-palocciano! E com ajuda de sindicalistas com almas honestas como os movimentos ‘sociais’ justos como o MST! Realidade Bananis!!!

  2. Hipocrisia.
    Ambos os lados sabem que esse valor ridículo é impagável. A empresa já assinou acordo de leniência. Agora é só vaidade de barnabés da AGU querendo holofotes.

  3. Passa alguna anos e a empresa faz refis, ou a dívida é perdoada e vai-se acabar acertando , ainda o melhor e garantido a receber é trabalhar pro governo, vejo aqui e SC, tem muitas fábricas que venderam móveis , portas , sofá pra grande lojas de departamento a nível nacional e não conseguiarm mais receber, agora estão tirando carro, carroça dos donos pois as fábrica se quebraram e tem que pagar os direitos trabalhista do funcionários. tem empresa que fabrica tubos de aço para a petrobrás , não conseguem receber, a petroleira diz que é pra carregar de volta os canos mesmos estes já meia boca, pois não vão usar no pré -sal.

  4. E os políticos que receberam propina da Andrade e de outras empreiteiras continuam livres, leves (mãos) e soltos, praticando toda sorte de crimes. Né senador Romero Jucá Filho? Né senador Renan Calheiros? Né Moreira Franco? Né Padilha? Né Michel Temer?

  5. Perfeito!!!!
    O confisco integral dos bens dos corruptos e de seus corruptores no caso das pessoas físicas e a aplicação de multas com base no nível de faturamento juntamente com a declaração de inidoneidade das empresas corruptoras, impedindo-as de participar de licitações públicas são as medidas necessárias para coibir a prática disseminada no Brasil desde a Proclamação da República.

    O problema é que ainda não vi nenhum politico apresentar um projeto de lei com essa abrangência no Congresso Nacional. Onde estão os malditos representantes do povo naquele antro de prostituição???

  6. Essa exigência de 40 Bi é para quebrar a Engenharia Brasileira, por que não punir os executivos que cometeram os crimes?!! Brasileiros querendo destruir a Indústria Brasileira, acho que isso pode ser classificado como crime de lesa pátria ou muita inocência sob orientação externa.

    1. Quem quebra o Brasil são estes políticos e empresários corruPTos. Sem CorruPTor não se tem corruPTo e vice versa.

    1. A existência desta empresa é desnecessária. Quem faz as obras são as empresas e não a “Andrade Gutierrez”. Portanto, fecha esta espelunca. Novas empresas virão! Os pobres coitados dos empregados da AG migrarão para estas outras. E o exemplo estará dado e consolidado.